quarta-feira, 27 de abril de 2016

dos quadrinhos para o livro: Guerra Civil


Guerra Civil: uma história do Universo Marvel - Stuart Moore - 2014 - 398 páginas - Novo Século

A épica história que provoca a separação do Universo Marvel!
Homem de Ferro e Capitão América: dois membros essenciais para os Vingadores, a maior equipe de super-heróis do mundo. Quando uma trágica batalha deixa um buraco na cidade de Stamford, matando centenas de pessoas, o governo americano exige que todos os super-heróis revelem sua identidade e registrem seus poderes.]
Para Tony Stark - o Homem de Ferro - é um passo lamentável, porém necessário, o que o leva a apoiar a lei. Para o Capitão América, é uma intolerável agressão à liberdade cívica.
Assim começa a guerra civil.
Baseado nos quadrinhos de imenso sucesso - mais de 500.00 exemplares vendidos!

De que lado você está?



Enquanto a ansiedade está matando alguns fãs por aí, eu aproveitei para ler ambas as versões da história, que além de ter baseado o terceiro filme do Capitão América, também existe em quadrinhos, lançado em 2006 por Mark Millar e Steve McNiven - que saiu também na Coleção Oficial de Graphic Novels Marvel da Salvat em 2014 -, ainda possui uma adaptação para romance, da qual eu venho lhes falar hoje. Como sempre acontece em adaptações, acaba havendo algumas sutis diferenças, afinal, uma mídia é diferente da outra... 

Após o incidente de Stamford, envolvendo heróis e vilões, que deixou centenas de vítimas, o governo dos EUA decide criar uma Lei de Registro de Super-humanos onde todos os super-heróis e vilões revelem sua identidade e registrem seus poderes. De um lado temos Tony Stark, também conhecido como Homem de Ferro, que apóia a Lei de Registro, liderando a principal equipe de super-heróis (os Vingadores) e auxiliando o governo com essa questão. Do outro lado, temos o Capitão América, que acredita que isso é uma agressão à liberdade, logo, ficando contra a lei. É à partir daí que dá início a guerra civil, dividida em duas facções, com heróis e vilões lutando cada qual pelo aquilo que acreditam ser o correto.

Não sei como o quadrinho explora toda a questão (até porque eu ainda não finalizei a leitura e não sei se vou conseguir fazê-lo antes de sábado), mas o livro traz algo bastante interessante quando aborda a história por quatro ângulos diferentes: a do Homem de Ferro, Homem Aranha, Mulher Invisível e Capitão América em relação aos acontecimentos que vão separar o mundo dos super-heróis como o conhecemos.

Vale ressaltar que na história não há vilões (há inclusive aqueles que "aderiram" a Lei de Registro e passam a trabalhar para o governo, como os Thunderbolts). Tudo aqui não passa de uma questão de ponto de vista, onde o que para um é certo para outro é errado dentro da comunidade de super-humanos, sendo a história importante em si, pois ela é o point que provoca a separação do Universo Marvel - e como alguns leitores afirmaram, sendo uma das melhores histórias já criadas desde 2006, posteriormente abrindo um leque de opções para leitura.

Aliás, a parte curiosa do livro (e grande parte de seus acertos) são justamente os pontos de vistas diferentes de cada um dos quatro personagens e de suas dúvidas perante o momento pelo qual estão passando, cada qual com seu momento de clareza - que de acordo com o próprio Tony Stark seria "um breve e vívido lampejo do seu futuro, do destino terrível que os espera se não houver mudanças" (p.140) -, que em outras palavras nada mais é do que o momento que a ficha cai para cada um dos personagens.

Devo parabenizar o autor Stuart Moore por seu ótimo trabalho em Guerra Civil. Mesmo não conhecendo tão bem os personagens nos quadrinhos, o autor soube retratar suas peculiaridades, deixando a essência de cada um. Um único porém é com relação ao final da história que acaba tão abruptamente quanto às vidas durante a tragédia em Stamford, deixando em nós, leitores, aquele sentimento letárgico, do tipo "falta alguma coisa" ou é "assim mesmo que vai terminar?", que é rapidamente compensado com quatro epílogos, mostrando qual "fim" cada um das quatro personagens tiveram - mesmo que a história em si seja mais uma grande introdução para todo o Universo Marvel (que pode ser visto AQUI. Cuidado spoilers por conta e risco).

Por mais que você torça para aquele lado, você se questiona várias vezes sobre qual é realmente o lado certo, chegando até a mudar de percepção. Ah, há um lado vencedor na história, então, vale a pena ler para saber qual foi.



Para aqueles que possa interessar, a Editora Novo Século vem lançando desde 2014 uma série de romances com os personagens Marvel, intitulada Série Marvel, com capas ilustradas pelo brasileiro Will Conrad. Ao todo, já foram lançados onze títulos e mais seis estão à caminho. O próximo é A Morte do Capitão América. #Ficadica

Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Tô adorando ver HQ's virando romance por que incentiva o pessoal a ler mais e imaginar cenas, ao invés de só vê-las desenhadas :3
    | A Bela, não a Fera || Turma da Mônica e o Escotismo|| FB Page A Bela, não a Fera|

    ResponderExcluir

Opinem, comentem, compartilhem, façam como o filme "A Corrente do Bem" e passe adiante!


E Por favor! Sem palavras de baixo escalão, ou que possa denegrir qualquer pessoa. Lembre-se, quem escreveu o post é uma pessoa igual a você (nem melhor e nem pior). Comentários deste tipo serão deletados.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...