quarta-feira, 3 de maio de 2017

8 anos de Naty in Wonderland cansam


Pois é. Eu nunca imaginei que algum dia que fosse escrever isso. De fato eu estou um tanto quanto cansada do blog. Cansada de ficar algumas horinhas do meu dia escrevendo palavras e palavras e no final ter umas tantas dezenas de visualizações e nada de comentários (sério gente, ler alguém falando a respeito do que você escreveu é tão incentivador). Cansada de postar resenha atrás de resenha de livros que li (tipo, pra que mesmo?). Cansada de tentar falar sobre quadrinhos quando nem manjo tanto assim deles (sério, é difícil falar sobre eles). Agora eu tenho outros objetivos na vida, tipo assistir a seriados na Netflix (e comentar sobre eles? É mais difícil do que comentar sobre filmes, que aliás, eu parei). Cheguei a uma fase que não faz muito sentido em atualizar o blog. Deletá-lo? Nunca. 

Eu sei que eu escrevo aqui mais pra mim do que para outros, só que ultimamente isso não está fazendo mais sentido. Não tenho recebido nada em troca (só alguns livros e olhe lá); descobri que parcerias com editoras não é aquele mar de rosas: tem umas que te usam (literalmente) para divulgar seus produtos, outras são tão piores que só te dão os livros mesmo (se elas quiserem e se tiver disponível no estoque), porque nem ajudar a divulgar o texto que as vezes demora tanto pra sair eles o fazem. E o desanimo vem junto, só acumulando. Provavelmente eu gastei quase todas as minhas forças trabalhando para tentar ter uma parceria que quando a consegui as forças se acabaram (e a situação familiar não ajuda muito).

Lembra daquele texto de janeiro? Pois é (ele está disponível para leitura aqui). Devo estar passando pela pior crise bloguistica que existe (se é que essa palavra realmente exista). Não é preguiça, é falta de vontade, falta de coragem, falta de incentivo - e eu sei que tem muita gente aí que me incentiva - e os problemas que parecem nunca ter fim, tanto que até já me acostumei com eles (sabe aquele negócio que aceita que dói menos? Pois é).

Devo dizer que eu estou um cadinho infeliz com o blog. Eu gostaria que ele fosse de outro jeito, mas infelizmente ele não é. Sim, eu gostaria que ele fosse do jeito que eu idealizo e procuro pela web afora sobre alguns blogs. E sim, não o faço porque é muito trabalhoso (e eu não demando de todo esse trabalho). E mais uma vez, ele não é. Eu não tenho tanto afinco assim. Nem pra definir um tema específico de tema eu tive, e isso vem desde o começo. 

Antigamente, o blog me dava uma certa satisfação, só que ultimamente eu perdi essa satisfação, digamos que agora eu tenho outros objetivos. Eu sei que nunca ganharei dinheiro com o blog (afinal, quando o hobby deixa de ser hobby ele não é mais um hobby) e o máximo que talvez ganharei com ele serão alguns livros (dos quais a minha pilha chega "ao infinto e além"). Ele já foi meu "objetivo de vida", mas agora não é mais. Eu achei que à partir dele eu estaria chegando mais próximo do meu sonho, mas uma provinha dele me mostrou que não é tão "mar de rosas" assim, o que é uma pena. 

E mais uma vez. Eu não fecharei o blog e muito menos o deletarei (afinal, são oito anos de textos escritos aqui). Eu acho incrível a força de vontade que algumas pessoas tem de não desistir e continuar com algo por cinco ou dez anos. E pra ajudar, o "mercado" já está bastante saturado com dezenas ou talvez centenas de blogs de resenhas (a maioria de livros). Textos pessoais são para aquelas pessoas que tem coragem de se expor (coisa da qual eu não tenho tanta obstinação desde sempre). E chegou uma hora da minha vida que eu não conseguia mais ler ou assistir algo sem aquele pensamento "preciso escrever sobre isso" e está sendo ótimo não ter esse tipo de pressão dentro da minha cabeça, o que ajuda bastante.

Eu imagino que tudo isso que eu estou passando seja uma fase, uma fase muito ruim da minha vida (como um todo). Parece que quando você se encaixa em algo, todas as outras coisas se desencaixam. E eu não posso reclamar disso porque nesses anos, talvez tenha sido a melhor coisa que me aconteceu (e que tudo isso que eu estou passando seja o preço pelo qual eu estou pagando, já que eu mesma não sei conciliar tanta coisa). Eu me sinto mal por não conseguir ter mantido o ritmo que eu mesma designei pra mim (2 posts por semana, na segunda e na quinta). Eu estava quase conseguindo, até eu sentir que cai na mesmice de novo e que não consegui criar algo decente. E quem sabe eu ainda possa volta a ele? (eu já tenho um texto rascunhado e alguns outros - todos resenhas - a escrever) ¯\_(ツ)_/¯ 

Dizem que as crises aparecem sempre acompanhadas do número sete (sete dias, sete semanas, sete meses, sete anos...). Talvez eu esteja tendo uma dessas crises com meu blog desde o ano passado (quando o blog fez sete anos) e infelizmente eu não faço ideia de como sair dela. E sim, basicamente tudo pode ter começado quando eu me mudei. E o problema não são a falta de visualização ou comentários, é comigo mesmo.

Mas mesmo assim eu gostaria de agradecer à você que está lendo e que visita constantemente esse lugar bagunçado (que pelo jeito reflete bastante a minha situação). Eu espero poder e conseguir postar constantemente (sabe? Me dói quando não o atualizo, como quando você marca algo com alguém e simplesmente não aparece. Culpa, é isso!), pelo menos o suficiente para que eu me sinta bem. E são 8 anos fazendo posts de aniversário. 8 anos de Naty in Wonderland. 8 anos escrevendo.

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. "Textos pessoais são para aquelas pessoas que tem coragem de se expor (coisa da qual eu não tenho tanta obstinação desde sempre)."
    Para quem (acha que) não tem coragem de expor sua opinião e que (acha que) nunca o fez você foi bem corajosa ao escrever este texto. São poucos os blogues que mostram a realidade de ter um blog. Que como você diz, não é um mar de rosas. São poucos que tem coragem de admitir que estão desapontados por não terem comentados. São menos ainda aqueles que comentam os defeitos de se ter uma parceria (talvez por terem medos de perderem ou não conseguirem a tal parceria tão sonhada). Por fim, são poucos os que são transparentes e mostram a verdade como ela é.
    Deixo meus parabéns pelos oito anos, embora o clima não esteja para comemoração. Oito anos não é para qualquer um, pois é difícil se manter por tanto tempo sem se corromper, no entanto você se mantém na mesma proposta: blogueira por hobby sem fins lucrativos.
    Mais uma coisa. Faça o blog quando você se sentir bem, pois um hobby deixa de ser hobby quando deixa de ser prazeroso.

    ResponderExcluir
  2. Sei como é. Atualmente estou passando pela mesma fase. Gosto de escrever no blog, mas é desanimador não ter comentários e quase nada de views. A gente escreve esperando que alguém leia e ache bacana ou dê sua opinião.
    Mas é como vc falou, a blogueosfera já está saturada de blogs literários, sem falar os booktubers. Tentei gravar vídeos mas demanda muito tempo (entre planejar, gravar e editar).
    Agora estou tentando o Instagram, porém ainda não sei se vou "migrar" minhas opiniões literárias pra lá. O que sei é que tenho ideia de reformular o blog, tentar deixar ele mais dinâmico, fazer resenhas mais curtas, sei lá.
    Mas parabéns pelo post e pelo aniversário do blog! 😉

    ResponderExcluir
  3. 8 anos! Já tem meus parabéns e mais minha adimiração!

    Já tive um blog que acabei deletando por esse mesmo problema, mas ele tinha muita pouca coisa. Agora voltei a ter um blog de novo, mas no Wordpress. Completei 1 ano no mesmo passado, e por enquanto, está rendendo com o troco de pinga nas visitas e nos posts, mas até prefiro assim.

    Não exclua seu blog, há muita informação relevante para muitos. Atualize só quando puder, sem criar cronogramas ou algo assim, será menos exigente a você mesma Naty. Eu tenho que tomar vergonha e reler alguns posts seus que marquei para ler e não o fiz ainda.
    Um abraço, e Feliz 8 anos!

    ResponderExcluir
  4. Não sou de comentar muito em seu blog, mas gosto de ler seus textos. Espero que o blog continue.

    ResponderExcluir

Opinem, comentem, compartilhem, façam como o filme "A Corrente do Bem" e passe adiante!


E Por favor! Sem palavras de baixo escalão, ou que possa denegrir qualquer pessoa. Lembre-se, quem escreveu o post é uma pessoa igual a você (nem melhor e nem pior). Comentários deste tipo serão deletados.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...