segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Fundação: Um clássico de Isaac Asimov


Fundação - Isaac Asimov - 2009 (9ª reimpressão, 2015) - 239 páginas - Aleph

O Império Galáctico possui 12 mil anos. E possui pujança, grandeza e estabilidade. Ao menos em sua fachada. Mas ele está em pleno declínio, lento e gradual. E no final, culminará com uma regressão violenta da sociedade e a consequente destruição do conhecimento. Preocupados com isso, um grupo de cientistas traça um plano pela preservação do conhecimento adquirido. Vencedor do prêmio Hugo, como a melhor série de FC de todos os tempos, este é o livro inicial da Trilogia Fundação




"Um homem. Um plano. A maior aventura da história da raça humana."



Fundação é tido por muitos (inclusive exaltado pela própria Aleph) como a obra máxima do escritor Isaac Asimov - autor do qual eu já tive a oportunidade de ler Eu, Robô, do qual eu me lamento constantemente por não ter escrito uma resenha sobre.

Em um primeiro momento, o livro não nos revela seu enredo e talvez nem a sinopse deixa claro quanto a sua especificação (e eu estou falando dos resumos presente na contra capa e na orelha do livro físico). Aqui temos o Império Galáctico (que não é o mesmo do universo de Star Wars) em seu momento mais próspero e o psico-historiador Hari Seldon acaba prevendo a eminente queda do poder. O que Seldon propõe é a criação da Fundação, afim de criar uma enciclopédia, durante ao qual a ciência e a cultura do Império seriam preservadas durante os séculos de barbárie que o Império irá se afundar, para serem reacendidas no fim, em um Segundo Império.

Até aí, Fundação parece ser um livro bastante chato, mas a cada página consegue surpreender o leitor, e inseri-lo dentro da história. Sua narrativa é dividida em 5 partes, com vários saltos temporais, de aproximadamente 30 à 50 anos (sem seguir um ordem linear), sempre trazendo um "protagonista", que exerce algo importante na história. Basicamente, é como se fossem contos, que se unem e formam a história como um todo.

A história se foca no início da Fundação e na eminente queda do Império, que graças as predições feitas por Hari Seldon, a barbárie do qual a civilização passará durará menos (de 30 mil anos para mil anos), até sua ascensão ao Segundo Império.

A parte mais curiosa e excitante de ler o livro é que tudo que acontece na história (bem como vai vir acontecer - a Queda, a barbárie e sua ascensão) já foi prevista por Hari Seldon, através da matemática e da psicologia juntas, trazendo uma probabilidade de 98,4% de acerto para as "crises Seldon", que superadas formam o alicerce da Fundação, sem que os envolvidos saibam exatamente o que fazer (e que nós leitor, vamos descobrindo juntos).

Fica até difícil falar algo sobre o livro, tamanho é a sua complexidade, sem entregar pontos chave da história. As ações das personagens em algum momento já foram previstas pelo psico-historiador, mas estas não têm conhecimento disso, embora elas ajam de acordo com o que a situação peça.

Este livro faz parte da trilogia Fundação, composta pelos livros Fundação, Fundação e Império e Segunda Fundação, além de suas continuações em outros quatro volumes, dos quais eu pretendo adquirir em breve, em um futuro próximo e que lerei na ordem de lançamento, e não na cronológica (aprendi que faz sentido ler assim).

Ao que parece o livro Eu, Robô, após o lançamento desta série de livros, foi reescrito pelo próprio autor afim de ser inserido no universo que acontece a série Fundação. Quem sabe eu não resolvo (e até consigo) fazer uma resenha da obra para vocês? 

Fica aí mais uma leitura O.<

Este post faz parte do I Dare You 2.0 - Desafio Literário, que possui três temas por mês, aonde só é necessário a leitura de um. O tema 3 de agosto foi "um livro de trilogia" e nada melhor do que começar outra série quando se precisa finalizar outras não é?

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Os Três Mosqueteiros


Os Três Mosqueteiros - Alexandre Dumas - 2011 - 536 páginas - Generale
Compre AQUI

O jovem d'Artagnan deixa sua terra natal no interior da França e chega a Paris para se tornar membro dos mosqueteiros, a tropa especial do Rei Luís XII.
Após alguns acontecimentos, vê-se em meio a um embate com os três mosqueteiros, os amigos, Athos, Porthos e Aramis. Os duelos, porém, estão proibidos na França. Assim, inesperadamente, eles são flagrados pelos guardas do Cardeal Richelieu, que os atacam impiedosamente, e, juntos, saem vitoriosos do combate. Os quatro se tornam companheiros inseparáveis e adotam o lema "Um por todos, todos por um!".
Eles combatem em nome do rei e pela defesa da honra da rainha, vivendo uma sequência de momentos de tensão, ameaças e aventuras eletrizantes. As suas vidas estão sempre por um fio. Entre lutas de espadas memoráveis e perseguições alucinantes, os quatro bravos guerreiros correm contra o tempo para deter os avanços de Richelieu e se defender das armações da bela Milady e do Duque de Buckingham.
Recheado de intrigas. romance, bom humor, suspense e batalhas espetaculares, Os três mosqueteiros é um clássico da literatura mundial que continua encantando gerações de leitores.


"um por todos e todos por um!"



segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Drops # Jornada em Corellà, No Game No Life Novel 3, Anohana, Ms. Marvel 2

Leituras e mais leituras....


Neste Drops # tem o livro Jornada em Corellà, a light novel de No Game no Life Novel 3, o mangá Anohana e a HQ Ms. Marvel #02. Não vou comentar as mensais que leio.

Confira abaixo um resumo do que vai para a minha pilha de leitura


quinta-feira, 14 de julho de 2016

A Promessa do Tigre de Colleen Houck


A Promessa do Tigre - Colleen Houck - 2014 - 128 páginas - Arqueiro

Medo. Esperança. Dúvidas. Antes da maldição, uma promessa.
Mais de 300 anos antes de Kelsey Hayes surgir na vida de Ren e Kishan, uma jovem cruzou o caminho dos príncipes. Seu amor por um deles mudou o curso da história e do destino da família Rajaram.
Criada longe dos olhos da corte, isolada do convívio do castelo, Yesubai luta para suportar os maus-tratos do pai e manter em segredo seus habilidades mágicas. Lokesh é um poderoso e cruel feiticeiro que foi capaz de assassinar a própria esposa porque ela lhe deu uma filha em vez de um filho.
Ao completar 16 anos, Yesubai é surpreendida por um anúncio do rei. Procurando fortalecer suas relações diplomáticas, o nobre acredita que um casamento entre a filha de Lokesh, comandante de seu exército, e um pretendente de algum dos reinos vizinhos será uma boa estratégia para diminuir os conflitos na região.
A jovem recebe a notícia com alegria. Pela primeira vez ela enxerga um fio de esperança, a perspectiva de escapar do controle do pai e de levar uma vida fora do confinamento de seus aposentos.
Mas esses não são os planos do feiticeiro. Ele vê no iminente casamento de Yesubai uma oportunidade de conseguir ainda mais poder e não poupará para atingir seus objetivos sombrios.

A prequel da Saga do Tigre



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...