segunda-feira, 21 de julho de 2014

Série Tempos de Sangue - O Andarilho das Sombras

Aqueles que procuram um bom livro de fantasia



Basta procurar nas ruelas escuras e imundas da Europa da Idade das Trevas

O Andarilho das Sombras é mais um livro que destaco da nossa literatura brasileira, que aliás, tem muito a oferecer, como sempre digo.

O Andarilho das Sombras, romance de Eduardo Kasse, conta uma história instigante de como as escolhas, os caminhos tortuosos e uma maliciosa promessa criaram um grande mal.Harold Stonecross, protagonista do livro, é carismático, sedutor e fatal. Sempre envolto em mistérios enquanto caminha pelas ruelas escuras e imundas das cidades e vilas medievais da Inglaterra, Irlanda e França dos séculos XI e XII.Em sua atuação, a História escrita pelos homens confunde-se com a histórias de terror contadas pelos mais velhos nobres, sacerdotes, homens comuns, não importa, sempre haverá um rastro de sangue após as cortinas baixarem.

O livro faz parte da Série Tempos de Sangue e é uma fantasia histórica, repleto de trechos fictícios com uma certa dose de realidade, aquela que de fato aconteceu, como por exemplo a época das pessoas passarem meses sem se lavar, por pura crendice, passada de pai para filho durante a Idade Média Européia. 

Esse era o costume da Europa. Não só dos pobres, mas de todos. Os ricos, os nobres, o clero, todos! Nos meses mais frios as pessoas fediam como porcos, exalando odores horrendos por debaixo das saias grossas e calças de couro." p.48

Sua narrativa, sempre em primeira pessoa, impressiona pelos detalhes mínimos e descrições de situações e sentimentos bastante realistas, beirando ao extremo. Se você estiver lendo-o e fazer alguma careta ou fechar o livro em alguma passagem, isso será normal nas devidas circunstâncias. 

Houve diversos momentos que precisei me forçar a ler O Andarilho das Sombras. Eduardo consegue expressar em palavras características tão reais - seja do ambiente ou dos costumes camponeses -, que o livro tornou-se desagradável em diversos momentos. Diferente de outras "obras históricas", este mostra a vida camponesa desnuda.


A história possui seu próprio ritmo, ora nos mostrando um Harold humano, ora mostrando seu destino, um Harold imortal que apesar de não ser mencionado nenhuma vez, é um vampiro, cheio de luxúria e perversões. Há também a inserção de personagens outrora reais com passagens fictícias, como os Deuses há tempos esquecidos Thor, Loki e Hel. Há inclusive a inserção de personagens reais, como a Matilda da Inglaterra, conhecida com a Senhora dos Ingleses, filha de Henrique I, a Imperatriz do Sacro Império Romano-Germânico.

Foi algo extremamente inusitado matar Matilda e eu ainda não conseguia assimilar esse fato com clareza. Sentia um misto de euforia e serenidade, de angústia e excitação, de júbilo e descontentamento." p.284

Eduardo Kasse foge dos clichês mostrando a criação dos vampiros por meio do deus Loki, afim de irritar os outros deuses, em especial Thor e de "presentear" Hel, contudo mantendo toda as características desses seres fantásticos, sedentos de sangue e cheios de luxúria.

Além disso, o autor consegue mesclar o ficcional ao histórico de maneira única, com descrições cheias de detalhes que ora encanta, ora desagrada em um mundo real e bastante fictício, sem deixar os deuses da mitologia nórdica de lado com o deus cristão, a fé de um povo subjugado por uma Igreja controladora, o desespero, a maldição, o dom e a maldição.

São os ingredientes que Eduardo utiliza em seu livro e que o torna singular no que diz respeito a literatura fantástica história brasileira.

A Série Tempos de Sangue continua em Deuses Esquecidos.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Esse livro é incrível, maravilhoso e sangrento. Li e adorei; tornou-se um dos meus favoritos. Kasse soube criar personagens incríveis. Quando crescer, quero ser igual ao Harold.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de julho

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela resenha e pelo apoio!!!

    ResponderExcluir

Opinem, comentem, compartilhem, façam como o filme "A Corrente do Bem" e passe adiante!


E Por favor! Sem palavras de baixo escalão, ou que possa denegrir qualquer pessoa. Lembre-se, quem escreveu o post é uma pessoa igual a você (nem melhor e nem pior). Comentários deste tipo serão deletados.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...